sexta-feira, 21 de setembro de 2007

You Give Me Something!!

Bastou essa musiquinha gostosa comecar a tocar na novela das 8 - triste q tenha sido la, mas otimo pq ouvimos sempre por ai - pra q tdo mundo baixasse no limewire, e-mule e programas do genero.
Com apenas 22 anos, o cantor ingles despontou para o sucesso apos o lancamento do se album de estreia, Undiscovered. Tendo sua voz comparada pelos criticos a de Stevie Wonder, atingiu os primeiros lugares das paradas do Reino Unido logo na semana de lancamento do cd.
Com influencias folk, o menino que nasceu em meio a pobreza e doenca na cidadezinha de Rugby, na Inglaterra, trilhou seu caminho para o sucesso com mta luta e sacrificio. E valeu a pena!


James Morrison - You Give Me Something

You want to stay with me in the morning
Bur you only hold me when I sleep,
I was meant to tread the water
Now I've gotten in too deep,
For every piece of me that wants you
Another piece backs away.

'Cause you give me something
That makes me scared, alright,
This could be nothing
But I'm willing to give it a try,
Please give me something
'Cause someday I might know my heart.

You already waited up for hours
Just to spend a little time alone with me,
And I can say I've never bought you flowers
I can't work out what they mean,
I never thought that I'd love someone,
That was someone else's dream.

'Cause you give me something
That makes me scared, alright,
This could be nothing
But I'm willing to give it a try,
Please give me something,
'Cause someday I might call you from my heart,
But it might me a second too late,
And the words I could never say
Gonna come out anyway.

'Cause you give me something
That makes me scared, alright,
This could be nothing
But I'm willing to give it a try,
Please give me something,
'Cause you give me something
That makes me scared, alright,
This could be nothing
But I'm willing to give it a try,
Please give me something
'Cause someday I might know my heart.
Know my heart, know my heart, know my heart


*Especialmente pra qrida amiga Lette, q acordou 5 da manha soh pra baixar essa musica.

quinta-feira, 21 de junho de 2007

Para ouvir 1 milhão de vezes seguidas...

Norah Jones - In The Morning

I can't stop myself from callin'
Callin' out your name
I can't stop myself from fallin'
Fallin' back again
In the mornin'
Baby in the afternoon

Dark like the shady corners
Inside a violin
Hot like to burn my lips
I know I can't win
In the mornin'
Baby in the afternoon

I tried to quit you but I'm too weak
Wakin' up without you I can hardly speak at all
My girlfriend tried to help me
To get you off my mind
She tried a little tea and sympathy
To get me to unwind
In the mornin'
Baby in the afternoon

Funny how my favorite shirt
Smells more like you than me
Bitter traces left behind
Stains no one can see

In the mornin'
Baby in the afternoon
You're gonna put me in an early grave
I know I'm your slave whenever you call

I can't stop myself from callin'
Callin' out your name
I can't stop myself from fallin'
Fallin' back again
Fallin' back again
Fallin' back again
Fallin' back again
Fallin' back again

terça-feira, 19 de junho de 2007

Vestibular musical-cinematográfico

Para aqueles que adoram testar o nível de cultura inútil, voilá:

http://www.dreampix.com.br/jogos/filmes/

Mtooooo bom! É um teste cujo objetivo é, por meio de trechos de músicas, descobrir qual o filme correspondente. Eu fiz e achei mto legal! Inclusive, se alguem souber de outros que sigam a msma linha, por favor indiquem via comentário aki no blog, ok?!

Ah, a pontuação?! 52 de 64! Uhuuuuuuu!

Bjos!


No iPod: Coolio - Gangsta's Paradise

segunda-feira, 18 de junho de 2007

Não precisa mudar


Ivete Sangalo
Composição: Saulo Fernandes/Gigi


Não precisa mudar

Vou me adaptar ao seu jeito

Seus costumes, seus defeitos

Seus ciúmes, suas caras, pra que mudá-las?

Não precisa mudar

Vou saber fazer o seu jogo

Saber tudo do seu gosto

Sem deixar nenhuma mágoa, sem cobrar nada!

Se eu sei que no final fica tudo bem

A gente se ajeita numa cama pequena

Te faço um poema, te cubro de amor.

Então você adormeceMeu coração enobrece

E a gente sempre se esquece

De tudo que passou.

Então você adormece

Meu coração enobrece

E a gente sempre se esquece

De tudo que passou.

Não precisa mudar

Vou me adaptar ao seu jeito

Seus costumes,seus defeitos

Seus ciúmes, suas caras, pra que mudá-las?

Não precisa mudar

Vou saber fazer o seu jogo

Deixar tudo do seu gosto

Sem guardar nenhuma mágoa, sem cobrar nada!

Se eu sei que no final fica tudo bem

A gente se ajeita numa cama pequena

Te faço um poema e te cubro de amor

Então você adormece

Meu coração enobrece

E a gente sempre esquece

De tudo que passou

Então você adormece

Meu coração enobrece

E a gente sempre se esquece

De tudo que passou

De tudo que passou"Tirirou!"

Se eu sei que no final fica tudo bem

A gente se ajeita numa cama pequena

Te faço um poema e te cubro de amor

Então você adormece

Meu coração enobrece

E a gente sempre se esquece

De tudo que passou

Então você adormece

Meu coração enobrece

E a gente sempre esquece

De tudo que passou

Então você adormece

Meu coração enobrece...

sábado, 9 de junho de 2007

Uma trilha sonora para o dia dos namorados

Dia 12 está chegando... e você, que faz parte de um exímio casal nunca parou para pensar o que seria uma ótima trilha sonora para o dia dos namorados?

Pois é...pensando num tema para post, cheguei a conclusão de que falar um pouquinho sobre músicas românticas que costumam agradar aos ouvidos dos apaixonadinhos não faria nada mal...

Algumas nos fazem suspirar, outras fazem o coração bater mais forte, outras fazem a imaginação fluir... algumas nos fazem sentir aproximados de quem queremos bem, outras combinam com a luz de velas...

Enfim, mesmo sendo uma senhorita solteira (e xereta!) me pus na tarefa de listar para vocês algumas músicas legais de colocar como trilha sonora da próxima terça-feira (não só românticas, mas criadoras de clima!)... garanto não decepcionar!

Chris Isaak - Wicked game
Andru Donalds - Save me now
Roy Orbison - I drove all night
The blue Nile - I would never
Crowded House - Don't dream it's over
U2 - Electrical Storm / One
Al Green - Let's Stay Together
John Mayer - Your body is a wonderland
Foo Fighters - Tired of You / Skin and Bones / Walking after you
Stereophonics - Maybe tomorrow / Miss you now
The Wallflowers - Bleeders / Josephine
Justin Timberlake - What goes around... comes around
Marvin Gaye - Sexual healing
Extreme - More than words
Aqualung - Brighter than sunshine
Maroon 5 - She will be loved
Joss Stone - Right to be wrong
Incubus - Talk show on mute
Cardigans - You're the storm
Nickelback - Far away
Magic Numbers - Love is just a game
Bryan Adams - Heaven
Huey Lewis & Gwyneth Paltrow - Cruisin'

E para completar... todas da Norah Jones em um volume bem baixinho (especialmente New York City e In the Morning)...

terça-feira, 5 de junho de 2007

Crônica de um amigo

Desentendimentos. Idéias contrárias. Músicas fora do tom. Desafinar, não entoar as cifras, pois elas estão erradas.

Eu tenho um amigo. Você sabe o que é ter um amigo?

Mas acho que não o tenho, ele me tem. Cumplicidade!

Quando estou triste, sempre ao meu lado, quando feliz, comemora junto comigo. Mas às vezes, meio sem querer, sem perceber, o deixo de canto. Ele chora. Eu choro. Nada é intencional.

Mas ele nunca me abandonou, e eu nunca percebi isso, pelo menos até hoje.

Ah... o meu amigo! Não reclama, não me desampara, me alivia e sempre me ajuda, sinônimo de perfeição, eu não!

Eu tenho um violão, você não?

Pena, te desejo o melhor amigo do mundo! E não me pergunte se ele é mais meu amigo do que você, pois já sabe a resposta, sabe por quê? Ele jamais, me perguntaria se o trocaria por outro amigo!

Sabrina prometeu que não postaria letra de música neste mês, porém nunca disse que não faria uma crônica. E para àqueles que não têm um amigo de verdade, tenha um virtual: Visual Acoustics

quarta-feira, 30 de maio de 2007

O mundo é um moinho

Hoje também postarei somente uma música, por sinal é muito bela, apesar de um pouco triste. Realmente o mundo é um moinho e temo que conviver com isso.

Uma composição do grande Cartola! Por sinal alguém assistiu o filme? Eu ainda não, mas pretendo ver em breve.

Ainda é cedo amor, mal começaste a conhecer a vida, já anuncias a hora da partida, sem saber mesmo o rumo que irás tomar.

Presta atenção querida, embora eu saiba que estás resolvida, em cada esquina cai um pouco a tua vida, em pouco tempo não serás mais o que és.

Ouça-me bem amor, preste atenção, o mundo é um moinho, vai triturar teus sonhos tão mesquinhos, vai reduzir as ilusões à pó.

Presta atenção querida, de cada amor tu herdarás só o cinismo, quando notares estás a beira do abismo, abismo que cavaste com teus pés.

Ainda é cedo amor, mal começaste a conhecer a vida, já anuncias a hora de partida, sem saber mesmo o rumo que irás tomar.

Presta atenção querida, embora eu saiba que estás resolvida, em cada esquina cai um pouco a tua vida, e em pouco tempo não serás mais o que és.

Ouça me bem amor, presta atenção o mundo é um moinho, vai triturar teus sonhos tão mesquinhos, vai reduzir as ilusões a pó.

Presta atenção querida, de cada amor tu herdarás só o cinismo, quando notares estás a beira do abismo, abismo que cavaste com teus pés.

terça-feira, 29 de maio de 2007

Maio - Paula Toller / George Israel

Maio já está no final
O que somos nós afinal
se já não nos vemos mais
Estamos longe demais
longe demais

Maio já está no final
É hora de se mover
prá viver mil vezes mais
Esqueça os meses
esqueça os seus finais
esqueça os finais

Eu preciso de alguém
sem o qual eu passe mal
sem o qual eu não seja ninguém
eu preciso de alguém

Mais uma vez peço desculpas, meu caro leitor, mas prometo que no mês de junho não posto nenhuma música. Lette, parabéns...pessoa importante, hein?!

segunda-feira, 28 de maio de 2007

Introducing...Joss!




Alguém se lembra daquela jovem inglesa, loirinha, estilo hippie chique, que se apresentava descalça nos shows por naum gostar d usar sapatos, com as madeixas cuidadosamente repartidas ao meio, cuja voz era confundida e comparada com a das grandes divas da soul music americana?! Pois é Joss Stone cresceu! Agora em versão mais estilosa, com cabelos avermelhados, encrespados, figurino ousado, muuuuitos acessórios...bem diferente da Joss de 4 anos atrás, naum?! Apesar disso, a voz continua a msma, os pés ainda se apresentam descalços no palco e ela continua madura demais para os seus 20 anos.
Em seu terceiro cd, "Introducing Joss Stone", as músicas parecem vir grudadinhas, são parecidas e inseparáveis, é um som tão gostoso de ouvir que o cd até passa rápido...uma pena... Durante um conversa com meu namorado - que me deu o cd d presente d aniversário - cheguei a comparar o album ao excelente "Dark Side Of The Moon", do Pink Floyd, justamente pelo fato das músicas - de certa forma - perderem a graça qdo tocadas separadamente. O nome vem bem a calhar, pois é uma nova Joss que está sendo apresentada a nós; mesmo mantendo alguns traços do ínicio da carreira, a evolução da cantora é evidente. Só ouvindo pra entender!

Um som pra ser escutado a qualquer momento, justamente por combinar baladinhas gostosas com músicas mais agitadas, pra qualquer tipo de pessoa ou humor. É soh jogar no som e apertar o play. Vale MUITO a pena!

No iPod: Joss Stone - Tell Me What We're Gonna Do Now (a minha favorita!)

quarta-feira, 23 de maio de 2007

Do outro lado do rio temos Jorge Drexler

Compositor Uruguaio da música tema de Diários de Motocicleta tem muito mais que um Oscar.

Quem não se lembra da música do filme Diários de Motocicleta Interpretada por Antonio Banderas e o guitarrista Santana na entrega do Oscar em 2005? (Que por sinal Banderas demonstrou que como cantor ele é um ótimo ator).

O que valeu foi a intenção, não é mesmo? Pois o compositor e cantor da música, o uruguaio Jorge Drexler, não foi escalado para cantar pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, pois alegaram que ele não era conhecido, o que poderia prejudicar a música. Que besteira!

Porém a música Al Otro Lado del Rio ganhou o Oscar de Melhor Canção Original, e realmente é uma linda música que marca; após assistir o filme, me lembro que fiquei com ela na cabeça por um bom tempo. Drexler mandou muito bem cantando um trecho da música ao receber o Oscar.

Mas não para por ai, Jorge Drexler com seu álbum Eco, no qual se encontra a música Al Otro Lado del Rio, levou disco de ouro na Espanha e na Argentina e disco de Platina no Uruguai. Foi indicado também ao Latin Grammy Awards e ao Grammy americano, sendo indicado também na categoria de melhor álbum na IX edição do Prêmio de la Musica no ano de 2005 na Espanha.

Seu álbum Sea também foi indicado ao Latin Grammy Awards e ao MTV Latin Awards no ano de 2001 e esteve entre os considerados 10 melhores álbuns pela revista Rolling Stone Argentina, foi também indicado ao Prêmios Gardel de la Musica Argentina e recebeu disco de ouro por suas vendas no Uruguai.
O albún Frontera também foi indicado ao Prêmio Gardel de la Musica Argentina.

Maria Rita recentemente gravou a música "Mal Intento", assinada Por ele.

Eu particularmente gosto muito de ouvir suas músicas, pois além de ter uma voz muito agradavél, Drexler faz um som fenomenal.

terça-feira, 22 de maio de 2007

Conspiração Internacional - Leoni

Todo mundo sabe de alguma coisa que eu não sei
De um filme que eu não vi, de um aula que eu faltei
Por mais que eu tente eu nunca chego no horário
Eu perco tudo o que eu ponho no armário

Tudo atrapalha o que eu faço
Mas pros outros parece tão fácil

A fila que eu escolho vai sempre andar mais devagar
E o troco acaba bem na hora em que eu vou pagar
Se eu me distraio um único instante
Pode apostar que eu perco o mais importante

Tudo atrapalha o que eu faço
Mas pros outros parece tão fácil

Os vizinhos devem rir por trás do jornal
E eu desconfio de um complô
O maior que já se armou
Uma conspiração internacional

Todo mundo acha que o Rio de Janeiro
Não é bonito como foi no passado
Será verdade
Será que eu devo acreditar
Quando eles dizem que eu cheguei atrasado
Nunca foi nada perfeito
Mas até que eu gosto assim desse jeito

Sabrina deveria escrever um texto, mas sua coluna não permite ficar conectada por mais de cinco minutos, perdão, meu caro leitor...

quinta-feira, 17 de maio de 2007

Os melhores também podem ser piores

Na última segunda feira (14) a revista americana Rolling Stone, a partir da votação dos leitores e internautas, divulgou a lista dos 15 piores álbuns já produzidos pelos artistas mais famosos. Conhecendo alguns desses álbuns, a opinião dos leitores condisse muito bem com as impressões que tive ao ouví-los.


A presença dos especiais Bob Dylan e Rolling Stones nos primeiros lugares da lista prova que nem mesmo os mais notáveis fazem sempre um trabalho memorável.

Segue a lista completa:

01. Bob Dylan, “Down In the Groove”

Baixe algumas faixas destes álbuns e você verá que a qualidade conhecida destes artistas não é realmente encontrada nestes álbuns. Veja-se especialmente “One Hot Minute, do Red Hot Chilli Peppers que é uma droooga!
Rsrs!

P.S.: Perdão pela falta de qualidade do post...estou sem inspiração!

terça-feira, 15 de maio de 2007

Ideologia metamorfisada

“Mas lá vêm eles novamente, eu sei o que vão fazer: reinstalar o sistema”

Para não perder o costume meu querido leitor, continuarei proferindo a você algumas frustrações dessa minha cabeça pensante. Já ouviu falar em ideologia? Sei que tudo me lembra música, mas não digo, apenas pela obra prima do grande poeta Cazuza, pensei nesta palavra para questionar algumas novas pedidas musicais.

O último programa que assisti na MTV foi o Estúdio Coca-Cola (não sei bem se é um programa) no qual se apresentava duas cantoras bem distintas, (viva as diferenças?) a roqueira Pitty e a rapper Negra Li, por incrível que pareça a mistura me agradou, (mesmo vendo a cantora de rap dizer não saber quem é Aretha Franklin) é sempre bom ouvir algo diferente que mostre alguma mensagem.

Mas voltando a ideologia, lembrei que a primeira mistura musical foi a do rapper Marcelo D2 com o cantor Lenine. Como assim D2 e Coca-Cola? Nunca imaginei isso na vida, mesmo ele homenageando o Ronaldinho com uma música. Mas vou manter o respeito, afinal já vi a mesma indústria de refrigerantes gaseificados contratar o Charlie Brown Jr para uma propaganda televisiva, sim os mesmos que insultavam os “porcos capitalistas” (coitados dos suínos!).
.
Esse blog já está ficando subversivo, vou parar por aqui, mas ainda pensando: “ideologia? EU QUERO UMA PRA VIVER”, se você tiver a sua e realmente acredita nela, por favor, meu caro leitor: siga até o fim!

Quem quiser conferir outra mistura musical, se liga: o próximo estúdio irá ao ar na MTV no último domingo de maio e será o encontro de Nando Reis e Os Infernais com a banda gaúcha (tinha que ser do sul) Cachorro Grande.

quinta-feira, 10 de maio de 2007

Será que o Rei se apagou?

Após longas e longas discussões disseminadas pela mídia a respeito da biografia proibida de Roberto Carlos, por que não tirar do baú o lado interessante da história?


Quando surgiu o bafafá do livro, fiquei curiosa para saber o que de tão maldoso havia em seu conteúdo...será que alguma grande revelação incriminaria a reputação do rei? Comecei a matutar sobre o assunto, morrendo de vontade de conseguir um exemplar para mim (na verdade, para meu pai - ator coadjuvante dos meus posts) e verificar com meus próprios olhos o que continha. Foi então que há alguns dias atrás, após colher dados para a penúltima matéria do Diretriz, passei numa certa livraria e perguntei se lá havia o dito-cujo. Eis que o tiozinho da loja me apresenta um exemplar único, o que restou de muitos outros exemplares. Feito, era meu.


Então, ao chegar em casa, fui verificar capítulo por capítulo, e o autor, muito detalhista e cuidadoso, setorizou as informações de acordo com a cronologia dos fatos. Primeiro, o início àrduo da carreira, os estilos já explorados durante a carreira, a Tv e tudo mais. Depois começa o que eu julgo que teria sido o pior para Roberto: sua conduta frente à sexualidade, religião, doença e seus amores.


Apesar de todo o alarde que Robertão transmitiu ao não entrar em acordo com a editora do livro, as declarações contidas no livro não são tudo isso. Querendo ou não, quem é fã de verdade não encontrou nenhuma novidade nas infotrmações dos capítulos de conteúdo mais pessoal. Minha fonte pessoal, meu pai (olha ele aí de novo!) confirmou que todos esses casos já eram conhecidos por ele há muito tempo...


Voltando um pouco, lembrei que o tiozinho da livraria citou enquanto me entregava a nota fiscal: "Eu ouvi dizer que ele mandou recolher o livro porque outra editora está preparando uma outra em parceria com ele". Se isso realmente estiver acontecendo, e esses serem os motivos da briga no tribunal, é lastimável a perda de uma obra tão bem formulada, talvez uma das melhores da história da literatura brasileira... não quero ser puxa saco ao autor, de modo algum, mas seu livro seria uma ótima oportunidade para que os jovens como nós possam conhecer a carreira de um dos maiores fenômenos musicais no Brasil. Se pararmos para pensar, como brasileiros, seria uma relação "Deus no céu, Roberto Carlos e Madonna na Terra" (rs!). Forçando ou não, Roberto marcou a história do país, e do rock ao romântico não há uma pessoa que não conheça um trabalho seu.


Parabenizo então o autor do livro, que mesmo após uma enorme derrota, continua a declarar seu amor ao trabalho de Roberto, tanto que a trilha sonora para a vida dele deveria ser "Como é grande o meu amor por você...". E lamento o curso a que o fato chegou. Roberto poderia ter sido mais flexível, mas como toda grande estrela, às vezes age de forma equivocada. Mas uma coisa eu deixo bem clara: Não adianta a polícia me procurar que o meu exemplar eu não vou devolver!!!



"Não adianta nem tentar me esquecer, durante muito tempo em sua vida eu vou viver" - (Detalhes) isso sim é Robertão!

terça-feira, 8 de maio de 2007

"Não me vire as costas"

Caro leitor, hoje não tenho texto, não tenho poema e não tenho musicalidade.

Sim, sei que neste momento estraguei seu dia, noite, ou madrugada. Mas se você não se contenta em dormir sem ler algo que escrevo, descreverei meu dia a você.

Sabe quando você acorda com uma música na cabeça? E você passa o dia inteiro pensando em outras coisas, fazendo outras coisas, mas de repente, bingo! A música está dominando sua mente de novo! E passa mais um tempo, lá está ela...

Nesta linda terça-feira de sol e chuva, acordei com uma música no pensamento, e olha, que não era essas músicas chicletes como: festa no apê ou poeira. Era uma canção da Rita Lee: “um dia depois / não me vire as costas / salvemos nós dois / tudo vira bosta”.

Esta música me fez pensar o dia todo, sim leitor, de vez em quando eu penso, principalmente quando não estou escrevendo textos para blogs.

Ela me fez refletir o que realmente vale a pena na vida, devemos evitar preocupações, e nos preocuparmos com coisas importantes, devemos ser menos egoístas e pensarmos mais em alguém que não utilize apenas o pronome eu. Não me pergunte o que isso tem a ver com a música!

Mas meu grande problema foi tentar tirar a música do pensamento. Ela não sai, ela não saiu, talvez nem sairá. Começo a ficar preocupada, por que a música não vira logo bosta? Afinal ela diz que tudo vira...É talvez tem algo de errado com o intestino dela.

Cheguei em casa tentei tocar violão para amenizar o tédio, mas não consegui tocar nada, quando tentei “Por que não eu?”do Leoni, só pensava nos seguintes versos: “O pão-de-ló, brevidade da vovó / O fondue, o mocotó / Pavaroti, Xororó / Minha Eguinha Pocotó”.

Confesso que neste instante me revoltei com essa música, quem toca algum instrumento sabe que quando estamos tristes precisamos tocar, quando felizes precisamos também.É, hoje eu não estava nem um nem outro, talvez por isso não consegui tocar e não consegui postar, ou então, porque não sou uma pessoa concentrada e tenho dedos imperfeitos!

Desculpa o desabafo, mas não me vire as costas, salvemos nós dois...ou merda...quer saber...Porque vou me preocupar com o post.... se TUDO VIRA BOSTA!!!
...
Sabrina tenta escrever às terças, mas hoje ela só pensava em uma música, eu acho que é porque o Papa não é pop, ou então porque está chegando o aniversário do Bono Vox, não se esqueçam é no dia 10 de maio.

segunda-feira, 7 de maio de 2007

"Só Tinha De Ser Com Você"

Antonio Carlos Jobim / Aloysio de Oliveira

É,
Só eu sei
Quanto amor
Eu guardei
Sem saber
Que era só
Pra você.

É, só tinha de ser com você,
Havia de ser pra você,
Senão era mais uma dor,
Senão não seria o amor,
Aquele que a gente não vê,
O amor que chegou para dar
O que ninguém deu pra você.
O amor que chegou para dar
O que ninguém deu pra você.

É, você que é feito de azul,
Me deixa morar nesse azul,
Me deixa encontrar minha paz,
Você que é bonito demais,
Se ao menos pudesse saber

Que eu sempre fui só de você,
Você sempre foi só de mim.

Que eu sempre fui só de você,
Você sempre foi só de mim.


Nosso momento nostalgia!

A pedido do (futuro) rei


As Spice Girls podem se reunir. Estranho, naum?! Principalmente após tdos os boatos - confirmados ou não - acerca da separação do grupo. Bom, mas a reunião das moças naum parece estranha para os príncipes William e Harry. Os dois preparam juntos um grande show - Concerto para Diana - em homenagem a sua mãe, a princesa Diana, morta em 1997 num acidente d carro em Paris, e q completaria 46 anos no dia 1° de julho.
Diz-se que William escreveu d uma carta pessoal às artistas - Mel C, Mel B, Geri, Emma e Victoria, esta ultima casada como o galáctico David Beckham - e que ele e o irmao acreditam que elas se reunam para o evento.
Ja estao confirmados: Lily Allen, Duran Duran, Elton John, entre outros.

Esperamos que seja um sucesso!


No iPod: Elton John - Candle In The Wind

sexta-feira, 4 de maio de 2007

Almas e mentes abertas ao som.


Música não é somente terapia para os ouvidos, mas também para alma e a mente.

Terapia a base de música é uma ciência paramédica que se utiliza de som, ritmo, harmonia, melodia, movimentos, danças, expressões corporais. É utilizada há muitos anos, porém não é muito divulgada e para muitos essa terapia é uma novidade.

Mas sempre soubemos que a música alimenta a alma, por isso mesmo ela pode ser utilizada para a cura de males psicologicos. Musicoterapia segundo a canadian Association for Music Therapy é o uso da música no auxílio da integração psicológica, física e emocional de uma pessoa e também para a cura de doenças ou deficiências.

Sempre soubemos também que música é vida, quantas vezes mesmo não estando em um bom dia nos deparamos com alguma música da qual gostamos e nem que seja por alguns minutos( apenas aqueles da música), ou mesmo segundos (quando você pega a música no fim) conseguimos esquecer os problemas e curtir um pouco?

A música é utilizada já por algumas multinacionais, para o melhoramento de seus funcionários, ela é utilizada também por gestantes, pois pesquisas indicam que mesmo estando na barriga da mãe, as crianças já absorvem todos os sons vindos de fora, por isso já temos no mercado músicas especificas para acalentar bebê não nascidos, como o cd meninando do grupo OPA.

A música liberta as energias, portanto ouçamos música!!!
Obs: 1 de Outubro é o dia da música. Porém todo dia é dia de ouvi-la.

quinta-feira, 3 de maio de 2007

Eles são tiozinhos mas são cool

Bandinhas que fizeram a cabeça de quem já passou da meia idade permanecem intocáveis no quesito qualidade

REM, Rolling Stones, The Beatles, The Mammas & The Pappas, Deep Purple, Pink Floyd, Bob Dylan, Jimi Hendrix, Creedence Clearwater Revival, Led Zeppelin, David Bowie, Queen, The Who, Bob Marley, Jimmy Cliff, Bee Gees, Mutantes, Raul Seixas... você conhece esses nomes?

Para quem nunca ouviu falar de nenhum dos nomes acima, meus pêsames. Estes são apenas alguns de uma lista imensa de “antiguidades” que deram e ainda dão muito o que falar pela qualidade de sonoridade. O fator tempo não importa quando se trata dos clássicos dos Stones ou das verdadeiras sinfonias do Pink Floyd. Quando eles começaram sua pele ainda não estava enrugada, a calvície ainda não havia chegado, e estavam no auge da vitalidade. O tempo passou, mas a arte continua a mesma.

Estas celebridades, além de inspirarem as aventuras de um tempo que não volta mais, ainda acendem a chama de novos compositores e a existência de novas bandas. Atire a primeira pedra o primeiro reggueiro que nunca ouviu Bob Marley e não tentou fazer algo que espelhasse seus trabalhos, ou o maior dos roqueiros que nunca gostou de Led Zeppelin... será que esse cara nunca se apaixonou por Immigrant Song?

Não me abstenho de citar a qualidade de uma das melhores bandas que eu já ouvi: REM. São sim, tiozinhos doidões, que formaram a banda em 1979, mas que reúnem milhares de jovenzinhos em estádios lotados para ouvirem desde seus primeiros singles, até as baladas pop de Reveal e seus trabalhos mais atuais. Essa banda, que deveria ser “beatificada” no templo da música (existe isso?) foi apresentada a mim por ninguém mais que meu admirável PAI! (Só pra lembrar, pai, valeu pelo bom gosto, viu?)

E os Beatles? Acharam que eu iria esquecer? Não vamos nem comentar (para isso ouçam “8 days a week”, “Helter Skelter” e “Revolution”)...

Essas oitavas maravilhas do mundo (hoje eu to, hein?) são relembradas dia após dia em retrospectivas, coletâneas e tudo mais. Se o mundo inteiro não esquece delas, quem sou eu para esquecer?

Mas não se desespere se essas belezinhas não fizerem parte de seu seleto gosto musical. Dando uma busca pela internet, você pode encontrar os singles mais ovacionados de todo esse pessoal, e até mesmo versões não comercializadas. Não está satisfeito ainda? Então tá bom, se você quiser eu te empresto meu pai pra te dar uma aula um dia, rs!

Sei que alguém pode reclamar da não-citação dos artistas brasileiros. Vejam bem meus amigos, só eles já rendem assunto para um próximo post!

Fotos: Divulgação

quarta-feira, 2 de maio de 2007

Soletrando com a F-e-r-g-i-e!

Olha meu povo, está certo que eu não sou nenhuma expert em música, mas juro para vocês que é a primeira vez que eu vejo algo do tipo.

É a primeira vez que eu vejo alguém que goste tanto de soletrar...e essa pessoa é a Fergie! Caramba, mas a bichinha curte uma separação de letras, meu!

A começar pelo hit (!) "Fergalicious", que enche o saco se você ouvir muito...mas é uma excelente aula de soletração, e rola uma prática fenomenal porque o cara soletra numa rapidez...meu amigo, a primeira vez que eu ouvi eu fiquei "to the o quê?!" e uma amiga que estava comigo ficou tentando igual uma tonta acertar as letras e completar a palavra!

A fraquinha "Glamurous" também tem soletração. Mas dessa vez, ouvindo às preces de meio mundo, eles fizeram mais devagar. Pois é, acho que os shows da Fergie ficavam meio silenciosos na hora que ela entoava "Fergalicious", porque rolava um déficit de acompanhamento da platéia...(cena de silêncio típica nos filmes e desenhos animados:
grilos fazem 'cri cri', feno passa rolando...)

É, pois é, como diria minha avó (se ela soubesse que diabos é a Fergie): Não basta ser um popzinho descriativo (ah, o meu amigo neologismo...), tem que confundir!

Ouvi dizer que ela vai representar o país dela na próxima edição do 'Soletrando'...LOUCURA LOUCURA LOUCURA!! Só espero que ela não faça nenhuma criancinha da Somália, Etiópia, ou algum outro candidato de qualquer lugar pobre, chorar...


Esta jornalista sabe soletrar e tem mestrado em pentelhação alheia. Mas fala taaaanta besteira...pobres criancinhas da Somália...


No iPod: Miss Teeq - Scandalous

sábado, 28 de abril de 2007

Ouça!


A música te pauta,
te transforma.
Ela te prende, te liberta.
Você foge, ela te persegue.

A música é a saída
por onde você entrou.
Não há quem não goste,
não há quem não odeie.
Ela se faz sentir,
ela se faz em ti.

A música é arte,
inclusa ou à parte.
A música é distração,
entonação!

A rima é instintiva,
vivida ou construída.
A música está em tudo,
dentro do seu mundo.

Ela é o nada.
Agitada ou parada.

A música é vida,
na morte despedida.

A música é presente,
na lembrança do ausente.

A música fala,
a música expressa,
a música canta,
a música encanta.

A música não é feita,
ela já é existente.
Simples invenção de quem não inventa.
É a frustração de quem a apresenta!

Caro leitor, não se acostume com isso...
De vez em quando a Sabrina se atreve a escrever poemas, na próxima semana, ela voltará ao normal!

quinta-feira, 26 de abril de 2007

Por onde anda Jordy?

Jordy Lemoine, mais conhecido com Jordy, tinha apenas 3 anos quando gravou seu primeiro Cd. Quando completou quatro e meio, emplacou o primeiro lugar nas paradas musicais com a música “Dur dur d'être bébé”. Quem não se lembra do pimpolho se apresentando no programa do Gugu, com uma namoradinha, mandando ver no refrão “Ti ti ti ti amo, ti ti ti ti amo,I I I I love you, I I I I love you [...] Alison, c'est ma copine à moi, Alison elle est câline et plus… coquine” e da cara do apresentador falando “Que bonitinho ele né gente?”, mandando a tradutora perguntar umas coisas bem bobinhas para ele, assim como mandar ele dar umas bitoquinhas na tal da Alison?

Pois é. O pimpolhinho francês ficou bem longe dos holofotes após uma carreira meteórica que conquistou milhões de crianças com seus versos desconexos e enjoados, e não se soube mais nada a respeito do garoto. Inúmeras pesquisas na internet levaram a pouquíssimas informações, mas que já valem bastante.

Quando Jordy tinha apenas 6 anos, o governo francês o proibiu de continuar sua carreira musical, alegando que seus pais exploravam sua imagem por dinheiro. Isso em 1994. Após esse episódio, para piorar, em 1996, os progenitores ainda tiveram a idéia de abrir “A Fazenda de Jordy”, atração turística para as criancinhas, que foi um fracasso total.

E então, o astro mirim se apagou. Mas não pense que acabou nisso! Após um mergulho nas profundezas do esquecimento, Jordy reapareceu no reality show francês “La Ferme Célébrités” (bem no estilo de “Casa dos Artistas”), e de quebra, foi o vencedor da edição (Em 2005, com seus ainda precoces 17 aninhos). Em 2006, lançou um CD intitulado “Je t'apprendrai”, mostrando que quer retomar a fama perdida. Esse é seu disco de trabalho até hoje.

Ficou com saudadinhas? Então ouça:

“Dur Dur D'être Bébé (it's Tough To Be A Baby)”
“Alison”
E a mais recente “Je T'apprendai”

Mas não vale chorar lembrando os bons tempos de infância hein? Rsrsrs


Nas fotos: o moleque antes e depois/ divulgação. Eu preferia antes hein?

quarta-feira, 25 de abril de 2007

O LADO COMPOSITOR DE CHARLES CHAPLIN


Ao falarmos de Charles Chaplin, logo vem a imagem de suas atuações, como por exemplo, em Tempos Modernos, 1936, mas o que muitos não sabem é que o tema principal “Smile” desse grande clássico é de composição dele.


Sua primeira trilha musical foi Luzes da Cidade, 1931, que tem como música tema "La Violetera"; seguida de Tempos Modernos e O Grande Ditador, 1940. Em 1942, fez um trabalho maravilhoso no relançamento de Em Busca do Ouro, mas a que eu particularmente mais admiro é a composição do filme Luzes da Ribalta, 1952. Talvez não só eu ache essa a mais admirável, pois ao ser apresentada em Los Angeles em 1972, embalando o filme, após anos adiada essa apresentação por questões politicas, ganhou o Oscar de melhor trilha sonora.


Será esta mais uma postagem breve minha? Tentarei prolongar: Onde será que começou esse interesse musical de Charles, Charlie ou Carlitos, enfim, desse grande ator, compositor, diretor, mas será que nada é singular e único? Não tem um só nome, nem uma só especialidade. Bom, talvez foi aos cinco anos de idade quando subiu ao palco pela primeira vez no Music Hall em 1894.


Uma prova de que cinema mudo fala: com músicas, que representam mais que palavras.


Segundo o Guia dos Curiosos, O Grande Ditador, foi o primeiro filme inteiramente sonoro de Chaplin e ele compôs as músicas dos seus sete últimos filmes.

terça-feira, 24 de abril de 2007

"Traficando Informação"

No último texto, ressaltei o pré-conceito musical destacando o Racionais Mc, hoje atenderei o pedido de uma fã assídua deste blog.

O título deste post é o nome de uma música do Mensageiro da Verdade, mais conhecido como MV Bill. O rapper é sinônimo da luta contra o racismo e a desigualdade social.

Suas letras destacam principalmente a passividade da sociedade com relação à situação dos negros, pobres, moradores da favela. Com a batida tradicional de rap, ele interpreta suas canções com um tom forte, demonstrando seu protesto.

Graças ao “Falcão: meninos do tráfico”, documentário produzido no ano passado, por MV Bill, pelo seu empresário Celso Atahyde, pelo centro de áudio visual da Central Única das Favelas, e apresentado pelo Fantástico, o rapper conseguiu uma notoriedade maior para sua causa social. Recentemente o documentário recebeu o Prêmio Internacional de Jornalismo Rei da Espanha.

“Não sou o Movimento Negro, sou o preto em movimento”, MV Bill.

p.s. Leia o post abaixo!

"Só Deus pode me julgar"

Nasci de pais separados, fui maltratado pela minha madrasta, se alguém me acolheu? Só meus padrinhos. Fui feliz, mas fui triste também. Nessa vida, só queria ser reconhecido, talvez como um cantor de rap, transmitir experiências vividas ou não, mas não tive oportunidade. Apenas mais um.

‘Sim, ganhar dinheiro ficar rico enfim’, mas não tive chance, gostava daquela também: ‘que tempo bom, que não volta nunca mais’. E ele não voltou. ‘O que eles querem? Mais um pretinho na Febem’. Febem? Já vi de perto, estranho, não tinha motivos, eu era apenas um menino carente. Sorridente? Quase sempre, quando ouvia música ou jogava uma partida de botão.

Época de soltar pipa também era legal. Não tinha nada igual. Se alguém me entendia? Não, de vez em quando minha tia. Nessa vida todo mundo tem apelido, o meu? Era morte, ironia ou sorte.

Eu fugia de tudo e de todos, medo talvez, destino quem sabe. Mas um dia eles me encontraram, eu não pude fazer nada, quem era contra mim dizia que seria de tiro, mas não foi. Calei a boca de todos, mas Ele me calou antes. Foi a pipa, a mesma da alegria. Rasgada, estraçalhada, acabada; assim como eu. Ainda bem que quem eu amava não me viu assim. A descarga elétrica foi forte. Voei, sonhei, lutei...

Baseado em fatos reais.
...
P.S. O texto foi escrito por mim em primeira pessoa em homenagem ao verdadeiro personagem, pois quando ele falava ninguém ouvia.

segunda-feira, 23 de abril de 2007

Rockgol 2007...só pra quem tem envergadura moral !!!

Quer ir ao MTV Rockgol 2007?! O Palavras Cifradas dá a dica!

Para assistir ao campeonato mais louco do futebol brasileiro e mundial AO VIVO basta ir à emissora e buscar os convites, anota aí: Avenida Prof Alfonso Bovero, 206 - Sumaré. A retirada dos ingressos começou hoje, 23, e será encerrada dia 27; eles estão sendo entregues apenas a maiores de 18 anos (IMPORTANTE: todos os menores deverão apresentar autorização preenchida e assinada pelos pais ou responsáveis na retirada dos convites; menores de 14 anos poderão curtir o evento apenas acompanhados de pai ou responsável) e no período das 10 às 19 hrs.

A gravação acontecerá de 14 a 18 de maio (de 2ª a 6ª feira) no SPAC (São Paulo Atlético Clube), localizado na Avenida Robert Kennedy, 1448 - Santo Amaro, São Paulo. Serão 2 períodos:

Período da manhã:
das 9h às 12h40

Período da tarde:
das 13h00 às 17h45

A MTV ainda naum divulgou as equipes e os nomes - sempre muito diferentes -, que serão decididos em sorteio no programa Rockgol de Segunda, com a presença dos artistas participantes.

É esperar pra ver quais serão os craques dessa temporada e quem será o campeão do torneio!

Mais informações: http://mtv.uol.com.br/drops/drops.php?id=14867"


No iPod: Skank - Uma Partida de Futebol

quinta-feira, 19 de abril de 2007

Keane no Brasil – parte 3







O show em SP
Sim, sim, como já notificado anteriormente, Palavras Cifradas deu cobertura à passagem da banda inglesa Keane no segundo dia de apresentação em São Paulo. Aliás, creio que o primeiro veículo da internet que esteja divulgando as notícias pós-show seja este que vos fala (numa rápida busca no Google nada a respeito foi encontrado).

18 de abril – quarta feira. Credicard Hall cheio, e para a surpresa de alguns, jovens moderninhos se misturam a “tiozinhos” de gravata, adeptos do all-star, patricinhas "salto agulha" e tudo o mais que se possa imaginar. Com um rápido olhar, foi possível perceber que as melodias do Keane não tinham um perfil exato de fã para conquistar. O que estava claro, somente, é que todos estavam lá para ver um dos maiores fenômenos Britpop.

A abertura do show fica por conta dos cariocas do MopTop, bem no estilo abrasileirado de The Strokes (para comprovar ouça "O rock acabou"), que não demorou muito a agitar a platéia para a atração principal.

Então, por volta de 21h30min, horário indicado no ingresso para o início do show (a pontualidade inglesa persiste!), Tom Chaplin, Tim Rice-Oxley e Richard Hughes subiram ao palco. O pontapé inicial ficou por conta de “Put it behind you”, seguido de algumas palavrinhas em português by Tom Chaplin. As já esperadas “Everybody’s changing”, “Somewhere only we know” e “This is the last time” puderam embalar muitos casaisinhos apaixonados, juntamente com os solteiríssimos que gritavam com fervor cada verso das músicas.

Tom arriscou dizer aos fãs que se levantassem e cantassem “Somewhere only we know”, mesmo que não soubessem a letra direito. Citou também que o show do dia anterior (17/04) havia sido maravilhoso, mas esperava que o daquela noite fosse melhor ainda.

O show foi fechado com chave de ouro com as indiscutíveis “Crystal Ball” e “Bedshaped”, o que confirmou a realização do pedido de Tom. Ele terminou o show confirmando que aquela apresentação superava a anterior, além de prometer um retorno em breve ao país.

Eu (Cíntia), não tive do que reclamar. Rolou até uma versão unplugged, onde a banda se reuniu bem próxima ao público, criando um clima intimista. Como disse meu amigo Ricardo, “Só a dois já valeu o ingresso” (referindo-se à música "Somewhere only we know"). De um show maravilhoso há mais o que falar?

Simplesmente amei.

P.S.: A banda, durante sua turnê latina, está escrevendo um diário on-line sobre suas impressões no continente. Se quiser dar uma olhadinha, visite www.keanemusic.com na sessão El Blog.


Foto: Cris Uchoa-Site Keane

quarta-feira, 18 de abril de 2007

Hans Zimmer e sua ótimas trilhas

Hanz Zimmer, compositor alemão, nascido em Frankfurt, iniciou a produção de trilhas sonoras para filmes na década de 80. Em 1988 teve sua primeira indicação ao Oscar com o tema de Rain Main. Foi indicado também com as trilhas de The Preacher's Wife, Maré Vermelha e Melhor é Impossível, mas obteve maior êxito ao criar o score do Rei Leão, recebendo o Oscar , Globo de Ouro por Melhor Partitura Original, dois Grammys, o American Music Award como melhor álbum do Ano e também o Prêmio da Crítica de Chicago por melhor partitura.

Entre suas composições estão os temas de Telma e Louise, Missão Impossível 2, Piratas do Caribe, Rei Arthur ( que na minha opinião merecia um prêmio, ouçam a música Tell Me Why What You See), Código Da Vinci, O Último Samurai, Batman Begins, O Silêncio dos Inocentes, O Príncipe do Egito, Hannibal, entre outras trilhas que valem muito a pena conferir.

Segue aqui o site oficial e também outros 2 nos quais você achará arquivos para baixar
http://www.hans-zimmer.com/
http://yahoo.imusica.com.br/artista.aspx?id=12725
http://www.lastfm.pt/music/Hans+Zimmer/_/Earth

A voz dos mudos que falam!


Eu, uma pessoa sem criatividade, sem assunto, sem texto e finalmente sem Sandy e Junior... Resolvi aproveitar o gancho do texto anterior (plagiar é o termo mais correto) para fazer algumas relações entre músicas, estilos e personalidades.

Assim como dizem asneiras sobre acontecimentos como esses ataques criminosos em universidades, cometidos por pessoas que são “influenciadas” por músicas (atirei o pau no gato?), estamos sujeitos também a um forte preconceito musical, e ainda muitos remetem a música com perfis negativos:

Se eu chegar em casa com um namorado novo e no carro dele só tocar Racionais Mcs o primeiro pensamento da minha mãe será: “é bandido”.

Mas por que isso acontece???

Não entendo esses preconceitos, afinal se eles cantam uma música de protesto não devemos tachá-la como se fosse sinônima de pessoas criminosas. Se até o nosso digníssimo Senador Eduardo Suplicy anda por aí declamando o “Homem na Estrada” (música dos Racionais Mc).

Esse tipo de música reflete muito mais as conseqüências desse mundo desigual que construímos. E apesar de muitas músicas produzidas nesse país não servirem nem para espantar vizinho, algumas nos levam a olhar para alguém que protesta com motivos mais significantes e merecem mais destaque do que a divulgação da separação da dupla Sandy e Junior... (Desde os meus 5 anos eu escuto que eles vão se separar).

Por fim, escutem mais músicas... e esqueçam pré conceitos...

"Para entender o que está acontecendo com aquelas pessoas marginalizadas, é necessário ouvir os Racionais", diz o senador Eduardo Suplicy

P.s.: Não estou aqui para divulgar os Racionais Mc, apenas para demonstrar uma indignação com o preconceito que algumas pessoas têm com letras que trazem alguma mensagem que não é igual a de sempre.

terça-feira, 17 de abril de 2007

A culpa é da música?!

16 de abril de 2007. Em ataque à Virginia Tech, importante universidade tecnológica dos EUA, um homem - que ainda não se sabe se era estudante da instituição - abre fogo contra duas pessoas em um dos dormitórios e após longo intervalo ataca outras 31 em uma das salas de aula do campus. A motivação do atirador ainda é desconhecida, porém nada impede as autoridades de, como no massacre de Columbine, atribuir o acontecido à influência de algum jogo de videogame, algum filme ou até à música.

Sim, música.

Mais uma vez a história se repete, e novamente os americanos buscam um bode expiatório qualquer para que se ignore - ou esqueça - que a Virginia é um dos Estados americanos que mais vendem armas (e com a maior facilidade). No ataque à escola de Columbine acusaram o músico Marylin Manson de estimular a violência por meio de sua música nada suaves; protestos e mais protestos condenavam o músico, dizendo que ele era um dos responsáveis pela índole violenta dos dois estudantes que saíram atirando pela escola. Na época o músico cancelou 3 shows por luto à tragédia, e quando questionado do que teria dito aos estudantes se pudesse falar com eles, ele declarou "Eu não teria dito nada...Eu os teria ouvido, o que ninguém fez". Ele também participou de uma coluna na revista Rolling Stone e participou do filme "Tiros em Columbine"; as acusações da mídia e dos país inspiraram também o 5° album do músico, Holy Wood (In The Shadow Of The Valley Of Death). Pouco tempo depois, por meio de entrevistas com os colegas dos atiradores e também visitas a seus blogs, foi descoberto que eles detestavam a música de Manson, e que eram ligados mesmo em rock industrial alemão, da banda Rammstein. Surgia aí um novo bode expiatório, novas acusações, novas entrevistas, novas declarações e por aí vai...toda a lenga-lenga que já nos é familiar...

Ainda não sabemos o que levou o atirador de Virginia Tech a matar tantas pessoas, mas fica uma pergunta: Será que a culpa é da música?!


No iPod: Slipknot - The Blister Exists

domingo, 15 de abril de 2007

Show do Keane

Breve notificação: a (quase) jornalista que vos fala comparecerá ao show do Keane na próxima quarta-feira dia 18. Quem quiser colar tb, pode chegar!
Boa noite!!!

quinta-feira, 12 de abril de 2007

Keane no Brasil


A banda inglesa Keane pisa em solo brasileiro pela primeira vez na próxima semana. Com apresentações marcadas em países da América latina como México, Chile e Argentina, aqui no Brasil os shows se realizarão em São Paulo, nos dias 17 e 18 de abril, e no Rio de Janeiro, no dia 20 de abril, no Credicard Hall e no Claro Hall, respectivamente.

Com dois Cds lançados, “Hopes and Fears” (2004) e o atual “Under the Iron Sea” (2006), a banda de rock alternativo formada por Tom Chaplin (vocal), Tim Rice-Oxley (piano e baixo) e Richard Hughes (bateria) é conhecida pelas canções estruturadas em bases de teclado e piano combinadas à voz suave do vocalista, que trabalha em falsete. Com influências de The Beatles a Radiohead, logo no Cd de estréia consegue conquistar dois Brit Awards (prêmios ingleses conhecidos mundialmente), nas categorias “Melhor Revelação Britânica” e “Melhor Álbum Britânico”, pelo sucesso dos hits “Everybody’s changing” e “Somewhere only we know”.

Os shows no Brasil prometem muito a quem gosta do som singular de Keane. O set list incluirá as últimas “Is it any wonder?” e “Crystal Ball”, que já são conhecidas no mundo todo e fazem jus ao nome da banda.

Em São Paulo, o preço das entradas varia de R$ 100 a R$ 250, e os ingressos para o camarote setor 1 já estão esgotados para os dois dias. Já no Rio de Janeiro, os convites variam de R$ 100 a R$ 280.

Para quem tiver $$$$ disponível, vale a pena conferir!


Maiores informações:

Sobre a banda (site oficial): www.keanemusic.com

Ingressos: www.ticketmaster.com.br

Fotomontagem (sobre material de divulgação): Cíntia Luz

terça-feira, 10 de abril de 2007

Ouvir ou interpretar?


Sinceramente não tinha assunto para postar.

Como assim? Você deve estar se perguntando. (isso se é que você leitor se importa).

Mas a música inspira, então pedi uma ajuda, aos deuses: “Help, I need somebody”.

Logo veio à minha mente um episódio da faculdade. Cena em que uma aluna gaúcha da minha sala, (por respeito omitirei sua identidade) começou a propagar um som muito conhecido: “Lerê, lerê, lerê, lerê, lêrê”.

Tal canção poderia passar despercebida, mas não. Não era apenas uma palavra repetida sem sentido, ela é instantaneamente um sinônimo da escravidão. Graças a Dorival Caymmi e a novela Escrava Isaura.

E assim quando vi uma cena que parecia um escravismo e ouvi esta música só me veio à cabeça a imagem dos pobres escravos (quanto sofrimento!). Minutos depois a música se repetiu, outra pessoa (uma oriental, informação relevante) ouviu e advinha? Outra interpretação da música. Mas a gaúcha jurava não ter a intenção de anunciar aquele sentido.

Portanto esse será meu post. Só quero que tu penses muito bem antes de evocar uma música, penses nas criancinhas cantando marquei um xis, um xis, um xis. (six, six, six?). Em um singelo momento "particular" (lembre-se sempre alguém ouvirá) de cantar, tu podes emitir uma opinião, expressar uma ideologia, pelo simples ato de cantarolar...

Há muito significado nas simples palavras que você canta. Mas música é para ouvir, já dizia o poeta:


Arnaldo Antunes

Música para ouvir no trabalho
Música para jogar baralho
Música para arrastar corrente
Música para subir serpente
Música para girar bambolê
Música para querer morrer
Música para escutar no campo
Música para baixar o santo

Música para ouvir
Música para ouvir
Música para ouvir

Música para compor o ambiente
Música para escovar o dente
Música para fazer chover
Música para ninar nenê
Música para tocar novela
Música de passarela
Música para vestir veludo
Música pra surdo-mudo

Música para estar distante
Música para estourar falante
Música para tocar no estádio
Música para escutar rádio
Música para ouvir no dentista
Música para dançar na pista
Música para cantar no chuveiro
Música para ganhar dinheiro

Música para ouvir
Música para ouvir
Música para ouvir

Música pra fazer sexo
Música para fazer sucesso
Música pra funeral
Música para pular carnaval
Música para esquecer de si
Música pra boi dormir
Música para tocar na parada
Música pra dar risada
.
Música para ouvir
Música para ouvir
Música para ouvir

segunda-feira, 9 de abril de 2007

As 10 + da Billboard



Para aqueles que não conhecem, a Billboard é uma das mais aclamadas revistas de música do mundo. Desde que foi criada, em 1894, com a finalidade de exibir em suas páginas os chamados "bills", aqueles cartazes (ou outdoors, que são chamados de billboards pelos gringos) de propaganda de peças teatrais, filmes e shows musicais, bem como produtos em geral. Mas não demorou muito até as 8 páginas iniciais se transformarem em 16 e a publicação ganhar as bancas com outra finalidade. Conhecida por seus "charts", as listas dos singles mais tocados nas rádios, a revista foi tomando formato, agregando matérias sobre o mundo musical e do entretenimento, bem como críticas, artigos, etc. Estar entre os 100 mais em um dos seus charts é motivo de glória; muitos dos grandes músicos batalharam por um lugar ao sol - ou melhor, um lugar no chart - até se tornarem artistas consagrados, entre eles os Beatles, Madonna, Britney Spears, e por aí vai...

Então vamos conferir o chart dessa semana, com a seleção dos 10 + entre os 100 +:

1) Akon - Doesn't Matter
2) Gwen Stefani feat. Akon - The Sweet Escape
3) Mims - This Is Why I'm Hot
4) Fergie feat. Ludacris - Glamorous
5) Avril Lavigne - Girlfriend
6) Beyoncé & Shakira - Beautiful Liar
7) Gym Class Heroes feat. Patrick Stump - Cupid's Chokehold
8) Justin Timberlake - What Comes Around...Goes Around
9) Chris Daughtry - It's Not Over
10) Diddy feat. Keyshia Cole - Last Night

Para conferir o chart na íntegra, acesse = www.billboard.com


No iPod: Akon - Doesn't Matter (a 'number 1' da Billboard)

quinta-feira, 5 de abril de 2007

Anos 80 de nascença...



Os anos 80, além da nostalgia trazida por ter sido a década em que muitos leitores deste blog nasceram, teve acontecimentos tanto infelizes, quanto espantosos e relevantes: Diretas Já, Sarney, Plano Cruzado, AIDS... brinquedos que hoje agradam os saudosistas, moda brega-chique, cabelos arrepiados e muita rebeldia...

Mas uma coisa de que faço questão de lembrar são as músicas dessa década....e que músicas! Apesar de muitos contrariarem, quem não sente um friozinho na barriga ao ouvir as músicas que embalavam a nossa infância (não, não estou falando dos hits da Tia Xuxa!)... aquelas músicas que recheavam os clássicos vinis, as cassetes que nos davam o maior trabalho em rebobinar, virar do lado A ao lado B.... as músicas que hoje em dia fazem parte da programação mais que especial da Alpha FM e da Antena 1, que a cada dia que passa recebem uma nova coletânea que diz reunir os melhores hits da década...

Quem nunca lembrou das lindíssimas (uh!) polainas e meias de algodão combinadas à calças de lurex brilhante ouvindo Maniac do Michael Sembello, trilha sonora do filme Flashdance? Será que algum ser humano na terra nunca imaginou essa música como trilha sonora perfeita de uma academia de ginástica?

Sinead O’Connor, Depeche Mode, Erasure, Katrina and the Waves, The The, Mr. Mister, Cyndi Lauper, A-ha, Prince… são tantas e tantas músicas e bandas que seria até difícil descrever num simples post quanta música boa essa década possui!

Para fechar o bloco, a pessoa saudosista que vos fala, com o tom mais nostálgico possível, traz a lembrança pessoal da música que fecha, com chave de ouro a era atari-pogobol-lango-lango, mais “purpurinadamente” do que nunca: (I’ve had) The Time of My Life, trilha sonora de Dirty Dancing – Ritmo Quente (1987- ano que nasci!).... você já arriscou uns passinhos? Eu já....

terça-feira, 3 de abril de 2007

Portugal que canta e encanta

Grupo português há anos é sucesso no mundo.
Com lindas músicas que encantam o público, Madredeus surgiu 22 anos atrás .


“Lisboa tem histórias de reis,
De mares e de selvas
Lisboa tem histórias de hotéis,
De espiões e de guerras
Lisboa tem lendas de heróis,
Princesas, donzelas
Lisboa tem lendas do cais,
Do fado e navalhas;

Lisboa tem a tradição,
Dos bairros antigos
Vinho e sardinhas no verão
à beira do rio
Lisboa tem os rés-do-chão
E as altas mansardas
E há que descer e subir
Por estreitas escadas

Adoro Lisboa,
Eu quero-lhe bem,
Gosto de ver as gaivotas nos céus de Belém.

Adoro Lisboa,
E as histórias que tem
E sei que há muita gente
Que adora também”

"Adoro Lisboa", Madredeus, composição Pedro Ayres Magalhães e Fernando Júdice

Lisboa tem também a história de um grupo musical encantador, que recebe o nome de madredeus por ter iniciado seus ensaios em uma ala do antigo Convento da Madre de Deus, em Xabregas. As pessoas que ouviam, maravilhadas se referiam ao grupo como os madredeus, e assim se perpetuou.

Tudo começou em 1985, quando os baixistas Pedro Ayres Magalhães, dos Heróis do Mar e Rodrigo Leão, do grupo Sétima Legião, decidem inovar e fazer um som no mínimo estimulante, que desperta emoção e interesse. Gabriel Gomes, acordeonista também do grupo Sétima Legião se junta aos dois.

No ano seguinte o grupo recebe mais um integrante, Francisco Ribeiro, para tocar violoncelo. Mas ainda falta uma voz, e ainda em 1986 conhecem Teresa Salgueiro cantando um fado em uma mesa de amigos, hoje conhecida como a voz de anjo, é peça essencial no grupo, e não posso deixar de dizer, voz igual não há.

No final do ano de 1987, o primeiro álbun dos Madredeus é publicado, com o nome “Os Dias da Madredeus" e entre os sucessos está a música “A Vaca de Fogo”, depois disso, os sucessos não pararam. Ao total são 14 álbuns com diversas lindas canções.

Você pode conferir mais sobre a história desse grupo esplêndido no site http://www.madredeus.com tem acesso também á todas as músicas, recomendo que ouça “Alfama”, “O pastor”, “Haja o que houver” entre outras.

Fotomontagem: Carolina Pera
Foto do grupo: Daniel Blaufuks, retirada do site oficial dos madredeus.

segunda-feira, 2 de abril de 2007

Kirsten Dunst se aventura na trilha sonora de "Spiderman 3"


Depois de soltar a voz em uma das cenas de "Maria Antonieta", a atriz Kirsten Dunst, que interpreta Mary Jane Watson em "Homem Aranha 3", também participará da trilha sonora do filme.


A faixa, uma colaboração entre a atriz e o ator-músico Jason Schwartzman - com quem contracena em "Maria Antonieta" -, é a música "Summer Day". Mas a trilha não contará apenas com esse destaque, entre as bandas estão: Yeah Yeah Yeahs, Flaming Lips, Jet, The Killers, Snow Patrol (que gravou a faixa "Signal Fire", a primeira da trilha a ser tocada nas rádios gringas), entre outros.

A estréia mundial está prevista para o dia 4 de maio deste ano, e conta com o ator Tobey Maguire interpretando pela terceira vez o jornalista Peter Parker, que enfrentará vilões interpretados por James Franco, Topher Grace e Thomas Haden Church.

É esperar pra ver o que virá!

No iPod: Yellowcard - Gifts and Curses (da trilha sonora de "Spiderman 2")

domingo, 1 de abril de 2007

Ídolos ou Ídalos?

Nesta última quarta-feira estreou no SBT a segunda temporada do Programa Ídolos, versão tupiniquim do famoso American Idol, que por sua vez é uma adaptação do programa inglês Pop Idol. Nem vou lembrar do velho guerreiro!

A intenção é revelar um ídolo Pop para a música brasileira, porém não foi bem sucedida, pois o vencedor da primeira temporada, Leandro Lopes, mais conhecido pelo apelido de Pica-Pau não emplacou nenhum sucesso.

Portanto, o programa faz mais sucesso do que o “produto final”, estranho não?!
No início da seleção os candidatos que se apresentam são no mínimo hilários, pois são poucos que sabem cantar. Então entram em cena os jurados, cada um, com seu jeito ímpar em ridicularizar os calouros.

Arnaldo Saccomani, que é instrumentista, compositor e produtor, é o mais mal-humorado, sempre reclama de ter que ouvir cantores de chuveiro, ele tem um estilo de escolher o candidato pelo perfil comercial. Nesta segunda edição, um candidato metaleiro, que foi esculachado por ele lançou a seguinte campanha: “morte ao Saccomani”

Carlos Eduardo, o Miranda, jornalista, crítico musical, produtor, tem o seu próprio bordão: “pô véio você não canta nada”, apesar do bom humor ele não perde a oportunidade de zoar um candidato.

Thomas Roth, jornalista e produtor musical, com o seu estilo boy, é o jurado que mais transparece suas preferências, de vez em quando, suas opiniões entram em conflito com as de Saccomani.

Cynthia Zamorano, a Cyz, é cantora, compositora e produtora, ela é a mais simpática dos jurados, sempre tenta amenizar uma eliminação.

Nos primeiros episódios, a seleção foi na terra dos manézinhos, lá os jurados se depararam com muitas figuras, uma delas se destacou: Júnior Artista. Ele já se dizia famoso, e com música própria aproveitou a fila para cantar aos outros candidatos, que decoraram rapidamente o refrão: “Agora o meu adeus [smack] Tchau, aha/ Não vai ficar comigo/ Eu sou seu castigo/ Quis me enganar/ Mas se iludiu”.

E é por essas e outras que, a galera do Pânico não perdeu a oportunidade de satirizar o Ídolos, com o espetacular Ídalos, tão engraçado quanto o original. Com mais candidatos bizarros e piadas impagáveis.

ÍDOLOS 2 - JUNIOR ARTISTA

Suuuuuuceeeeessssoooooo!!!

sábado, 31 de março de 2007

Edição 2007 do Skol Beats promete agitar São Paulo mais uma vez


Com data marcada para 4 e 5 de maio, o Skol Beats 2007 já deixa muita gente ansiosa. Considerado o maior festival de musica eletrônica da América Latina, reúne cerca de 60 mil pessoas em cada apresentação, fazendo com que nos dois dias de festa ocorra a performance de um time expert em música eletrônica escolhido a dedo. Estarão presentes nomes como Laurent Garnier, Miss Kittin, DJ Marky, Simian Mobile Disco, Nathan Fake, David Guetta, Bonde do Role, entre outros, que estarão espalhados pelos diversos espaços e tendas do evento.

Diferentemente dos anos anteriores, a Arena Skol Beats não será mais sediada no Anhembi. As apresentações serão realizadas em um espaço na avenida Olavo Fontoura (também na Zona Norte de São Paulo), ao lado do Campo de Marte.

Os ingressos começaram a ser vendidos no último dia 28, e podem ser adquiridos até o dia dos shows nos diversos pontos de venda espalhados pelo país, ou pelo site www.ingressofacil.com.br. Os preços variam entre 60 e 200 reais, com descontos para aqueles que adquirirem antecipadamente.

Confira maiores informações sobre as atrações e os pontos de venda no site www.skolbeats.com.br

quinta-feira, 29 de março de 2007

1786 que mais parece 2006

Trilha sonora do filme Maria Antonieta conquista revolucionários e deixa boquiabertos os mais conservadores


O século é XVIII. Mas as músicas são mais contemporâneas do que tudo. O filme Maria Antonieta (Marie Antoinette, 2006) dirigido por Sofia Coppola e recém chegado ao Brasil não só impressiona o público com a imagem de uma rainha revolucionária e moderna, mas também com a trilha sonora que embala o enredo.

Com 26 faixas, o cd duplo da trilha musical do filme vai do erudito ao eletrônico, fundindo rebeldia e autenticidade, reprodução assídua do comportamento da rainha em questão – o que nos faz questionar como seria a corte francesa embalada por sinfonias clássicas e o bom e velho rock’n roll ao mesmo tempo.

Os anos 80 e a fase pós-punk reunidos à batidas eletro do século XXI possibilitam com maestria a mesclagem de séculos distintos. The Strokes, com a maravilhosa What Ever Happened (faixa inicial do ótimo álbum Room on Fire) não deixa nada a desejar, seguido dos indescritíveis The Cure, New Order e Siouxsie and the Banshees, que postumamente me recordam a minha infância musical do final dos anos 80.

Porém, os mais puritanos que possam reclamar dessas faixas “modernosas” de toque underground num filme do século da vovózinha podem se deliciar com algumas faixas dedicadas ao requinte da época. Apesar de serem apenas 8 num cd com 26 músicas pertencentes ao filme, são representadas com maestria principalmente com Vivaldi em Concerto in G,e outros nomes como Domenico Scarlatti e Dustin O'Halloran.

quarta-feira, 28 de março de 2007

Site analisa DNA de música


Você já ouviu alguém dizer que não suporta música? Eu não, alguns podem não gostar de determinados tipos e ter suas preferências, porém a música é algo contagiante, principalmente para os brasileiros. E conhecer coisas novas também interessa a todos nós. O site Pandora faz a junção dessas duas coisas, ao mesmo tempo em que você ganha conhecimento, ouve também seu estilo favorito.

Você descobre muitos artistas e músicas, os quais você não conseguirá parar de ouvir. O site considera que toda música tem um DNA, e através disso faz a busca. Basta digitar um nome de artista, banda ou música que ele trará uma lista que tenha algo em comum, muitas vezes você nunca nem ouviu falar, mas que ao ser apresentando, você se encanta, e pensa: Como nunca ouvi isso antes?

Desse modo você monta sua própria rádio, analisando músicas e dando suas opiniões, basta entrar no site:
www.pandora.com e se divertir com as descobertas do mundo harmonioso da música que parece infinito ao nosso conhecimento, pois há sempre uma boa banda, música ou artista bom a ser ouvido pela primeira vez.

O nome Pandora remete à mitologia, segundo a wikipédia, caixa de pandora “é uma expressão utilizada para designar qualquer coisa que incita a curiosidade mas que é preferível não tocar”, que traz curiosidade eu concordo, mas ainda estou tentando entender a razão de não tocar, talvez o motivo seja o vício, pois esse site é com certeza um daqueles em que você não consegue entrar só uma vez, pois sempre que você lembrar de algum estilo, banda ou música que você gosta, irá querer montar uma rádio.

segunda-feira, 26 de março de 2007

The Beatles - Love



Fãs dos Beatles: vibrai!
Os já imortalizados 'besouros' do rock tornam-se cada vez mais imortais com o lançamento de mais uma coletânea, "Love".
Para os que pensam que se trata de mais uma coletânea seguindo os passos das já lançadas anteriormente, engana-se, pois não se trata de um material 'puro' do quarteto de Liverpool, e sim uma reunião de músicas originais - George Martin, um dos produtores dos Beatles, utilizou masters originais do estúdio Abbey Road combinados com mixagens novas, criando uma espécia de 'sinfonia pop' - que resultou num espetáculo do Cirque Du Soleil celebrando o legado da banda. É uma parceria inédita entre o grande grupo teatral e a empresa Apple Corps - detentora dos direitos autorais do grupo -, nascida da grande amizade - e admiração mútua - entre George Harrison e Guy Laliberté, fundador do Cirque Du Soleil, e é apresentado exclusivamente no hotel The Mirage, em Las Vegas.
O cd conta com sucessos como Eleanor Rigby, Sgt Pepper's Lonely Hearts Club Band, Hey Jude, entre outros. Trata-se de um material muito rico, reinventado, e uma grande homenagem a uma das bandas que marcaram a história da música.
Vale a pena conferir!
No iPod: The Beatles - All We Need Is Love