quarta-feira, 18 de abril de 2007

A voz dos mudos que falam!


Eu, uma pessoa sem criatividade, sem assunto, sem texto e finalmente sem Sandy e Junior... Resolvi aproveitar o gancho do texto anterior (plagiar é o termo mais correto) para fazer algumas relações entre músicas, estilos e personalidades.

Assim como dizem asneiras sobre acontecimentos como esses ataques criminosos em universidades, cometidos por pessoas que são “influenciadas” por músicas (atirei o pau no gato?), estamos sujeitos também a um forte preconceito musical, e ainda muitos remetem a música com perfis negativos:

Se eu chegar em casa com um namorado novo e no carro dele só tocar Racionais Mcs o primeiro pensamento da minha mãe será: “é bandido”.

Mas por que isso acontece???

Não entendo esses preconceitos, afinal se eles cantam uma música de protesto não devemos tachá-la como se fosse sinônima de pessoas criminosas. Se até o nosso digníssimo Senador Eduardo Suplicy anda por aí declamando o “Homem na Estrada” (música dos Racionais Mc).

Esse tipo de música reflete muito mais as conseqüências desse mundo desigual que construímos. E apesar de muitas músicas produzidas nesse país não servirem nem para espantar vizinho, algumas nos levam a olhar para alguém que protesta com motivos mais significantes e merecem mais destaque do que a divulgação da separação da dupla Sandy e Junior... (Desde os meus 5 anos eu escuto que eles vão se separar).

Por fim, escutem mais músicas... e esqueçam pré conceitos...

"Para entender o que está acontecendo com aquelas pessoas marginalizadas, é necessário ouvir os Racionais", diz o senador Eduardo Suplicy

P.s.: Não estou aqui para divulgar os Racionais Mc, apenas para demonstrar uma indignação com o preconceito que algumas pessoas têm com letras que trazem alguma mensagem que não é igual a de sempre.

10 comentários:

Vica Prestes disse...

acredito que mais do que evitar idéias pré-formadas sobre o que o ato de escutar uma determinada música influencia no caráter desse ouvinte, pior é aquele que escuta Racionais por ser pesado, e acaba servindo mais pra "mauricinhos" fazerem posse de bad boys do que qualquer reivindicação em si. nunca ouvi uma música inteira dos caras, em parte por não ser tão presente na "minha realidade", e em parte por nunca ter dado brecha para essa música, assim como só conheço certas coisas por "obrigação" de pesquisa. acho que vou pesquisar sobre os Racionais. valeu pela dica.

Bianca Hayashi disse...

Acho que o preconceito também tem muito aver com a imagem da pessoa que canta a música do que da música em si. Todo artista passa uma imagem, a Sandy poderia cantar Racionais MC e continuar sendo a queridinha do Brasil (embora soe falso).
Claro, há um preconceito enoooorme contra a periferia e, consequentemente, contra a cultura da periferia...

Giulliana Martinelli disse...

Totalmente relevante o seu post, Sá! (exceto pela parte do S&J...haha)
Desde muito pequena eu ouço Megadeth, Metalica e ate bandas d punk, dakelas bem pesadonas, q meu irmao insistia em me fazer escutar pra q eu "aprimorasse meu gosto musical". Assim como a Bianca, eu ouço Rammstein ha um tempo, e gosto do som dos caras msm naum sendo fã ardorosa. No meu iPod tem mta musica do Marylin Manson, q eu escuto naum pq eh modinha (msm pq a modinha dele ja se foi faz teeempo), mas sim pq eu curto, ja ouvi entrevistas dele e - pasmem, conservadores! - eu acho o cara bem inteligente, c qr saber. Infelizmente nós julgamos as pessoas pela "casca". Por isso q qdo as pessoas olham pra mim, pra elas eh mais facil pensar q eu ouço qquer musiquinha chiclete q a midia coloca por aí.
Naum acho q c possa julgar alguem ou linkar suas atitudes à musica q a pessoa escuta. Por isso q eu digo q o buraco - no caso dos EUA e dessa mania d achar bode expiatorio pra tudo - eh mais embaixo. Falta qrer enxergar oq está na frente do nariz, q a sociedade ajuda a moldar a pessoa e naum eh uma música q vai me fazer sair matando tdo mundo. Certo? Senão eu, meus irmaos e tdo mundo q escuta metal, sairiamos matando a torto e a direito. O Mackenzie seria dizimado!
O Bush se disse chocado com a tragédia na Virginia Tech. Mas será q uma guerra sustentada por motivos pífios e inexistentes, com o propósito único de se apossar do petróleo alheio e mostrar pro mundo "qm manda aki nessa bagaça", e q matou milhares d pessoas a tôa naum eh motivo pra se chocar muito mais?! Me pergunto: será q Bush ouve Rammstein?! Será q a Condie é fã do Marylin Manson?! Ou será q o falecido Frank Sinatra por meio d sua musica tb incita pessoas a abrir fogo por aí?! Ou será q isso tudo naum eh apenas a desculpa d uma sociedade q prefere se cegar a enxergar q tem problemas sérios, e q eles naum são causados pela música?!

Pois eh, enquanto os estadunidenses não enxergarem q o buraco eh mais embaixo, estarão cada vez mais sujeitos a cair dentro dele! Over and over again...

Cíntia Luz disse...

Por isso q eu acho q a senhorita deveria parar de ser preconceituosa com os Strokes...rsrsrsrsrs....diversidade musical, isso é o que conta!
Mil beijos, ótimo post!

Anônimo disse...

Sá, no próximo post vc podria escrever sobre o MV Bill? Eu gosto mais dele do que do Mano Brown.

Luciana (a mesma do comentário acima) disse...

p.s: acho que vc tá ficando "meio de esquerda", hein?

mano brown, suplicy...acho que esse blog é subversivo

Silvia Song disse...

E eu ainda continuo revoltada porque os idiotas se separam e tem uma divulgação maior do que a morte da nair belo. a raiva é tanta que nem vírgula eu coloquei, tá vendo?
HUNF!

Rafael Zito disse...

realmente existe um pré-conceito mto grande com relaçäo a certos tipos de musicas, isso pelo fato de alguns tipos musicais estarem ligadas ha um grupo social que sofri com desigualdades sociais e retrata em suas musicas o dia-dia que vivem

o preconceito parte mto das classes médias e altas que nao vivem a realidade retratada pelas musicas e por isso as classificam como feitas por pessoas ligadas ao crime... rotulando-os como bandidos.

Esse comentario ja tah virando um post, portanto pararei por aki pq acho q a ideia jah foi passada hahaha

bjosss sabrina.

Carolina Pera disse...

Sáaaa, sei que meu comentário será um pouco besta, mas não posso deixar de falar, demorei para ver que a figura era um microfone, achei que era um secador, rsrs, até comentei com a Cí e ela disse o mesmo....

Sabrina Machado disse...

Pera e minha intenção era parecer uma arma...hahaha

Cintia, faça o q eu digo e não faça o que eu faço...

NO STROKES