quinta-feira, 10 de maio de 2007

Será que o Rei se apagou?

Após longas e longas discussões disseminadas pela mídia a respeito da biografia proibida de Roberto Carlos, por que não tirar do baú o lado interessante da história?


Quando surgiu o bafafá do livro, fiquei curiosa para saber o que de tão maldoso havia em seu conteúdo...será que alguma grande revelação incriminaria a reputação do rei? Comecei a matutar sobre o assunto, morrendo de vontade de conseguir um exemplar para mim (na verdade, para meu pai - ator coadjuvante dos meus posts) e verificar com meus próprios olhos o que continha. Foi então que há alguns dias atrás, após colher dados para a penúltima matéria do Diretriz, passei numa certa livraria e perguntei se lá havia o dito-cujo. Eis que o tiozinho da loja me apresenta um exemplar único, o que restou de muitos outros exemplares. Feito, era meu.


Então, ao chegar em casa, fui verificar capítulo por capítulo, e o autor, muito detalhista e cuidadoso, setorizou as informações de acordo com a cronologia dos fatos. Primeiro, o início àrduo da carreira, os estilos já explorados durante a carreira, a Tv e tudo mais. Depois começa o que eu julgo que teria sido o pior para Roberto: sua conduta frente à sexualidade, religião, doença e seus amores.


Apesar de todo o alarde que Robertão transmitiu ao não entrar em acordo com a editora do livro, as declarações contidas no livro não são tudo isso. Querendo ou não, quem é fã de verdade não encontrou nenhuma novidade nas infotrmações dos capítulos de conteúdo mais pessoal. Minha fonte pessoal, meu pai (olha ele aí de novo!) confirmou que todos esses casos já eram conhecidos por ele há muito tempo...


Voltando um pouco, lembrei que o tiozinho da livraria citou enquanto me entregava a nota fiscal: "Eu ouvi dizer que ele mandou recolher o livro porque outra editora está preparando uma outra em parceria com ele". Se isso realmente estiver acontecendo, e esses serem os motivos da briga no tribunal, é lastimável a perda de uma obra tão bem formulada, talvez uma das melhores da história da literatura brasileira... não quero ser puxa saco ao autor, de modo algum, mas seu livro seria uma ótima oportunidade para que os jovens como nós possam conhecer a carreira de um dos maiores fenômenos musicais no Brasil. Se pararmos para pensar, como brasileiros, seria uma relação "Deus no céu, Roberto Carlos e Madonna na Terra" (rs!). Forçando ou não, Roberto marcou a história do país, e do rock ao romântico não há uma pessoa que não conheça um trabalho seu.


Parabenizo então o autor do livro, que mesmo após uma enorme derrota, continua a declarar seu amor ao trabalho de Roberto, tanto que a trilha sonora para a vida dele deveria ser "Como é grande o meu amor por você...". E lamento o curso a que o fato chegou. Roberto poderia ter sido mais flexível, mas como toda grande estrela, às vezes age de forma equivocada. Mas uma coisa eu deixo bem clara: Não adianta a polícia me procurar que o meu exemplar eu não vou devolver!!!



"Não adianta nem tentar me esquecer, durante muito tempo em sua vida eu vou viver" - (Detalhes) isso sim é Robertão!

14 comentários:

Erika Cerutti disse...

HAHAHAHA! E vc comprou o tal livro? Ainda bem que vc gostou, né? Cada bobeira que as pessoas fazem quando são famosos...porq proibir um livro que só daria mais obope pra ele!? ai ai, viu!?

Beijooossss!

marcos disse...

nossa, vc conseguiu ujm exemplar?
legal!
cuidado!!!

Alberto Pereira Jr. disse...

não considero Roberto Carlos o REI da música brasileira e esse triste episódio da censura de sua biografia mostra que se ele um dia foi Rei, já perdeu a majestade.

Sabrina Machado disse...

Cí...

Desenterrou o rei???

Olha vou te denunciar, viu... q história é essa de comprar biografia não autorziada hein?!

gostei das aparições do seu pai no post...rsrsrs

Carlos Eduardo disse...

Eu sempre fui fã do Rei. Hoje mesmo me peguei cantando "Lobo mau" aqui em casa.. hahaha...

Falando do lado profissional de Roberto Carlos, é inegável o seu talento musical. Quanto ao lado pessoal, nunca me interessei por sua intimidade e suas vivências.

Nesse caso que gerou toda essa polêmica, o que me parece é que o dinheiro falou mais alto. Certamente, já existem muitas pessoas envolvidas em uma outra biografia, de conhecimento do Rei, e, "Roberto Carlos em Detalhes", de Paulo César de Araújo, viria de certa forma prejudicar os lucros de muita gente.

Não li a obra que está proibida de circular, mas o que ouço das pessoas que já tiveram acesso à ela, como você, Cíntia, é que ela está muito bem escrita e feita por um dos maiores admiradores do Roberto.

É uma pena que isso aconteça, pois acredito que, pelo caráter mítico e por toda a bela história do Rei, qualquer biografia bem intensionada vende e vende muito.

Um beijo Cíntia e Parabéns por conseguir um exemplar!!

Lucas disse...

"Amigo, arrasta uma cadeira, chega mais pra perto e fale o que quiser...

Carlos Eduardo disse...

"... Fale o que tiver vontade, de amor, de saudade, fale de mulher..."

Léo disse...

aeee querida..ja pode juntar com a coleçaõ dos almanaques anos 80, tem os 70 tb...
"Além do Horizonte existe um lugar, bonito e tranquilo..."
bjos

Clara Vanali disse...

O Roberto revolucionou a música MPB brasileira. E ele tem muitos problemas, maninas. Talvez seja por isso que resolveu recolher a bibiografia. Talvez ele se arrependa daqui um tempo.
Pessoas como o roberto tem o passado com o seu presente. É interessante isso. Jovem guarda, anos 70, tudo o que já foi. Mas que pra ele ainda é.
Por isso, se faz mais triste essa situação, de jogarem fora todos os exemplares de uma vida que ainda se faz agora.

Parabéns cí! Excelente post!
Bjos,

Clara.

Marcos disse...

Oi!
Não me interesso muito pela história pessoal dos artistas, e do Rei gosto de umas poucas músicas, tais como "Detalhes" e "Olha". Nada dos primeiros dias e nada do ocaso...
Mas o blog de vocês é muito bom! E você aprendeu a escrever assim onde mesmo? Com certeza manejou a pena com maestria em outras vidas, pois num período tão curto não seria possível aprender tanto. Gostei demais!
(Marcos, o Trindade Luz)

Gustavo Henrique disse...

HAhahah o rei Roberto tinha que deixar esse livro ser vendido, embora seja uma grande porcaria.:)
mas gostei do post
bjao Cí:)

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Ricardo Reis disse...

Assim como você Cíntia tive acesso a música do Roberto por intermédio de meu Kôroa...e gostaria de lembrar que uma das mensagens do Rock é fazer com que as pessoas se divirtam...afinal a vida não é só de protesto...ainda que no tempo pretérito...por isso ele teve seu mérito. Letras sublimes pedem a volta do Caetano...manda mensagens ambientalistas e verdadeiros hinos pela paz...mas bem antes ele já mandava seus recados à "cândinha".
Ainda não tive e ao que parece não terei acesso ao livro...mas o Rei está correto...se o livro não é autorizado não deve circular...o autor deveria ser mais responsável ao elaborar suas publicações...
Parabéns pelo artigo...mas ainda não entendi aonde a "Madonna" entra nesse contexto.
Beijos!!
Ricardo Reis

15 de Maio de 2007 18:28

Lucas Renato disse...

Olha... não ia comentar novamente neste post, mas escutando a música "Mulher Pequena", do Rei, não resisti.

É o seguinte: apesar de não concordar com tudo o que você diz, achei sensacional o post. Num blog que fala de música, não poderia faltar um texto sobre o Roberto Carlos.
Acho que se ele não está feliz com a circulação de sua biografia, tem que pedir a retirada mesmo.

O cara vendeu mais de 75 milhões de discos. É impressionante!! Também sou fã confesso do Rei.

Parabéns, Cintia, os grandes posts merecem muitos comentários mesmo!