terça-feira, 24 de abril de 2007

"Só Deus pode me julgar"

Nasci de pais separados, fui maltratado pela minha madrasta, se alguém me acolheu? Só meus padrinhos. Fui feliz, mas fui triste também. Nessa vida, só queria ser reconhecido, talvez como um cantor de rap, transmitir experiências vividas ou não, mas não tive oportunidade. Apenas mais um.

‘Sim, ganhar dinheiro ficar rico enfim’, mas não tive chance, gostava daquela também: ‘que tempo bom, que não volta nunca mais’. E ele não voltou. ‘O que eles querem? Mais um pretinho na Febem’. Febem? Já vi de perto, estranho, não tinha motivos, eu era apenas um menino carente. Sorridente? Quase sempre, quando ouvia música ou jogava uma partida de botão.

Época de soltar pipa também era legal. Não tinha nada igual. Se alguém me entendia? Não, de vez em quando minha tia. Nessa vida todo mundo tem apelido, o meu? Era morte, ironia ou sorte.

Eu fugia de tudo e de todos, medo talvez, destino quem sabe. Mas um dia eles me encontraram, eu não pude fazer nada, quem era contra mim dizia que seria de tiro, mas não foi. Calei a boca de todos, mas Ele me calou antes. Foi a pipa, a mesma da alegria. Rasgada, estraçalhada, acabada; assim como eu. Ainda bem que quem eu amava não me viu assim. A descarga elétrica foi forte. Voei, sonhei, lutei...

Baseado em fatos reais.
...
P.S. O texto foi escrito por mim em primeira pessoa em homenagem ao verdadeiro personagem, pois quando ele falava ninguém ouvia.

8 comentários:

Vica Prestes disse...

sá, o que é isso? foda, hein... um dia eu pesquiso a vida desse cara... "pesquiso".

Michele Roza disse...

Fodão!
Com o perdão da expressão, mas acho q cabe aqui.
É isso aí, Sá, voz aos q precisam ser ouvidos e luz aos q precisam ser vistos.

BJos

Lucas Renato disse...

Opa! Pára tudo! Meu primeiro comentário no "Palavras Cifrátilas"??

Vamo lá então.

Nessa vida, se cada pessoa tivesse uma oportunidade, o mundo não estaria desse jeito... Mas é claro, tem as excessões. Mesmo com muitas oportunidades, alguns teimam em errar na vida. Paciência.

Beijo, minha filha, vamo aê!

Anônimo disse...

SABRINA!!PARABENS!ADOREI SUA MATÉRIA....

Silvia Song disse...

Uau!!!!!!!!!!!

Erika disse...

Mandou MTOOOOOOOOOOOOO! Sem mais!

Bianca Hayashi disse...

Acho engraçado e esquisito como, apesar de toda "mídia" e "comunicação" que temos, poucas idéias são realmente ouvidas. E lembro da Daniela falando que blogs pessoais de pessoas normais são mais acessados que os do pessoal famosinho de revista.
Talvez essa seja uma das saídas...

Clara Vanali disse...

Sá, vc destrói. E eu to postando aqui para provar para vocÊ que eu leio. Não preciso dizer o quanto você é jornalismo literário para mim, rs. Eu adoro as coisas que vocÊ faz, e sempre vou comentar quando tiver algo a acrescentar, porque "parabéns" eu te falo todos os dias! Amu vc florzinha,
machado de sabrina,

bjos.