quinta-feira, 3 de maio de 2007

Eles são tiozinhos mas são cool

Bandinhas que fizeram a cabeça de quem já passou da meia idade permanecem intocáveis no quesito qualidade

REM, Rolling Stones, The Beatles, The Mammas & The Pappas, Deep Purple, Pink Floyd, Bob Dylan, Jimi Hendrix, Creedence Clearwater Revival, Led Zeppelin, David Bowie, Queen, The Who, Bob Marley, Jimmy Cliff, Bee Gees, Mutantes, Raul Seixas... você conhece esses nomes?

Para quem nunca ouviu falar de nenhum dos nomes acima, meus pêsames. Estes são apenas alguns de uma lista imensa de “antiguidades” que deram e ainda dão muito o que falar pela qualidade de sonoridade. O fator tempo não importa quando se trata dos clássicos dos Stones ou das verdadeiras sinfonias do Pink Floyd. Quando eles começaram sua pele ainda não estava enrugada, a calvície ainda não havia chegado, e estavam no auge da vitalidade. O tempo passou, mas a arte continua a mesma.

Estas celebridades, além de inspirarem as aventuras de um tempo que não volta mais, ainda acendem a chama de novos compositores e a existência de novas bandas. Atire a primeira pedra o primeiro reggueiro que nunca ouviu Bob Marley e não tentou fazer algo que espelhasse seus trabalhos, ou o maior dos roqueiros que nunca gostou de Led Zeppelin... será que esse cara nunca se apaixonou por Immigrant Song?

Não me abstenho de citar a qualidade de uma das melhores bandas que eu já ouvi: REM. São sim, tiozinhos doidões, que formaram a banda em 1979, mas que reúnem milhares de jovenzinhos em estádios lotados para ouvirem desde seus primeiros singles, até as baladas pop de Reveal e seus trabalhos mais atuais. Essa banda, que deveria ser “beatificada” no templo da música (existe isso?) foi apresentada a mim por ninguém mais que meu admirável PAI! (Só pra lembrar, pai, valeu pelo bom gosto, viu?)

E os Beatles? Acharam que eu iria esquecer? Não vamos nem comentar (para isso ouçam “8 days a week”, “Helter Skelter” e “Revolution”)...

Essas oitavas maravilhas do mundo (hoje eu to, hein?) são relembradas dia após dia em retrospectivas, coletâneas e tudo mais. Se o mundo inteiro não esquece delas, quem sou eu para esquecer?

Mas não se desespere se essas belezinhas não fizerem parte de seu seleto gosto musical. Dando uma busca pela internet, você pode encontrar os singles mais ovacionados de todo esse pessoal, e até mesmo versões não comercializadas. Não está satisfeito ainda? Então tá bom, se você quiser eu te empresto meu pai pra te dar uma aula um dia, rs!

Sei que alguém pode reclamar da não-citação dos artistas brasileiros. Vejam bem meus amigos, só eles já rendem assunto para um próximo post!

Fotos: Divulgação

7 comentários:

Gustavo Henrique disse...

Oiiier Cíntia adorei esse post:), lembro de quando eu fui no shiw do Roger Waters aqui no Br, foi sensacional, teve quase 3 horas de show de mais. E viva a volta desses dinossauros do rock:)

Carolina Pera disse...

Ha ha ha ha essa do REM e minha, detalhe sem acento sabe pq ne?
ADOROOO diversos desses tios ai hahaha

Sabrina Machado disse...

Uhuuuuuuuuulllllll!!!

BOB DYLAN!!!

Grandes tios...

Nem te conto q tenho um DVD mto bom dos Bee Gees...

Rika disse...

Adooooro os tios da música! Me irrito profundamente com a quantidade de músicas horríveis que é feita nos dias de hoje! Viva os avôs do rock! hahahahaha

Beijooos!

Léo disse...

Mandou muito bem na seleção...Anybody Seen My Baby?
Bjoss

marcos disse...

Kra muito bom ...
adorei relembrar alguns nomes... (músicas), isso me fez ir novamente atras de uns cds que tinha emprestado...

Marcos disse...

Oi, de novo!
Tiozinhos, né? Tou no time...
Acontece que todos eles faziam um som original, único, diferenciado. O tempo passa, mas a música de qualidade permanece!
Pink Floyd e Beatles! No toca-fitas do meu primeiro carro (Fusca, é lógico), eram os meus favoritos.
Em tempo: estou providenciando uns CDs do Keane (é isso?).
Marcos (Rio de Contas, Bahia)